Fonte: W Magazine
Tradução e adaptação: Equipe Portal Demi

“Tão entusiasmada para 2017”, Demi Lovato tweetou no ano passado – embora não fosse sobre o álbum, “Tell Me You Love Me”, que ela já estava gravando nos últimos seis meses, que será lançado sexta-feira, 29. “Tararei um pausa da música é dos holofotes… Eu não nasci para essa industria e a mídia”, ela continuou com um emoji que alegremente acenou.

As declarações aconteceram horas depois de Lovato ser atacado por haters por chamar, Taylor Swift em uma entrevista – na qual ela também se abriu sobre sua separação com Wilmer Valderrama, seu parceiro de seis anos. “Eu estava mais escura…”, Lovato aconchegada em seu quarto em Los Angeles, começou a me contar recentemente do tipo de entrevista que ela não imaginava fazer no ano passado. “Fiquei mais frustrada no ano passado com as redes sociais e coisas do tipo, e as palavras [que eu disse] na entrevista foram retorcidas”.

Claro, também havia o simples fato de Lovato, que havia participado de uma performance na Casa Branca e no Grammy Awards de 2016 e havia acabado de realizar quase 50 shows nos últimos meses com Nick Jonas, incluindo suas próprias apresentações [solos] de Antalya a Guadalajara, estava simplesmente exausta. “Eu estava cansada e havia acabado de sair de turnê”, continuou Lovato. “Eu não estava muito inspirada”.

No entanto, tudo isso mudou em Dezembro: Lovato acordou com a notícia que se havia conseguido sua primeira nomeação ao GRAMMY; seu álbum de 2015, “Confident”, estava concorrendo ao lado de discos de Justin Bieber, Adele, Ariana Grande e Sia em “Best Pop Vocal Album”. O assentimento, juntamente com seu trabalho de caridade habitual – Lovato ajudou a construir um centro de capacitação feminina, visitou escolas, fez uma caminhada com as mamas das tribos no Quênia, mesmo retornando para um Safari muito espiritual em janeiro – reconstruiu a estrela pop, que de repente “parou de se concentrar na negatividade da indústria“, disse ela. “Eu simplesmente me senti pronta para ir”.

No início de Março, ela retorna completamente para as redes sociais, criando uma Instagram para seu cachorro, cujo sua primeira publicação anúncia que Lovato – e seu filhote, Batman – estavam de volta ao estúdio; no final de Março, ela colaborou em uma música dos Cheat Codes, e estava divulgando isso, juntamente com seu papel em, “Smurfs: The Los Village”, seu segundo projeto de cinema naquele ano após o documentário, “Beyond Silence” de Fevereiro, um documentário sobre doenças mentais que foi produzido pelo lado executivo de Lovato.

Sua principal preocupação, é claro, tornou-se “Tell Me You Love Me”, que Lovato descreveu como “definitivamente mais maduro e cruel” do seu seu trabalho anterior. “Eu realmente tentei ter o meu próprio Stripped”, desse ela, citando o álbum em que Christina Aguilera, uma de suas maiores influências, reorganizou sua imagem de adolescente para um adulto com força sexual, como anunciado por uma capa, preto e branca do álbum, quem em grande parte inspirou Lovato a fotografar sua primeira capa de álbum em preto e branco.

O relançamento estético não foi o único avanço para este álbum para Lovato: “Eu nunca cantei sobre meu vício em álcool e meu vício em drogas, e é isso. ‘You Don’t Do It For Me Anymore’ é sobre isso”, disse Lovato. Da vitrine de seu novo som mais “soulful” e “R&B pop” que com coragem pode ela, achar “definitivamente difícil” de cantar.

Claro, ainda há muita diversão a ser tida, já que o primeiro single do álbum, “Sorry Not Sorry” provou este verão, completo com um vídeo musical que é essencialmente uma house party, com boias na piscina de flamingos rosas e uma lantejoula – Paris Hilton. E, apesar do fato de que haja especulações, “Ruin The Friendship” ganhou rumores de ser uma tapa na cara de Taylor Swift para Selena Gomez para Nick Jonas, e que “Daddy Isseus” parece aludir diretamente ao relacionamento de Lovato com seu falecido pai, a quem ela já descreveu como abusivo e mentalmente doente, a cantora insistiu que ambas as faixas caíssem nas “ligeiras” e “definitivamente sexy”.

A própria Lovato não não anunciou o títulos dessas músicas e as do resto do álbum em vez disso ela compartilhou detalhes com seus fãs antes do tempo e deixou o trabalho para os lovatics, que tem sido esmagadoramente entusiasmado e apoiado Lovato por quase uma década. “Lembro-me de quando eu tinha 15 anos e comecei com ‘Camp Rock’ e comecei a gravar meu filme. Eu estava respondendo a todos no meu MySpace e coisas do tipo. Mas quando foi que tive tempo de responder a todos?”, lembrou Lovato. “Eu tinha que aceitar o fato de que eu não seria capaz de responder a todas as pessoas, é isso simplesmente amenroi a partir da aí”.

Isso se tornou especialmente verdadeiro quando Lovato completou 18 anos e começou falar publicamente sobre suas lutas com a saúde mental, incluindo dando pessoais, dependência de drogas e bulimia em particular – todos os tópicos tabu, a ex-estrela da Disney abraçou a abertura para fama até hoje. “Isso é algo que faz parte de quem eu sou e sempre vou querer falar sobre isso”, disse Lovato, acrescentando que só amplificou sua conexão com seus fãs ainda mais. “Tenho um relacionamento muito especial com meus fãs que eu não acho que outros artistas tenham, eu sou atarefada, e então eu quero colocá-los de todas as maneiras possíveis em minha vida”.

Fiel à sua palavra, depois de divulgar “Sorry Not Sorry”, em uma série de festas intimistas, Lovato organizou um concurso para os fãs estarem em seu próximo videoclipe. E depois, depois do álbum, há outro documentário; ao contrário do de 2012, “Demi Lovato: Stay Strong”, que era sobre a reabilitação e a recuperação de Lovato, este, “Demi Lovato: Simply Complicated”, que será lançado no YouTube no próximo mês, dá uma visão “muito próxima, pessoal” do processo de gravação e “como é ser solteira aos 25 anos”.

Sobre o último, disse Lovato, “definitivamente fez a diferença” tanto para ela quanto para “Tell Me You Love Me” – embora de uma forma bastante positiva. “Coloquei mais tempo neste álbum e trabalho com a minha agenda. Eu realmente estava dedicando todo meu tempo ao estúdio – não estava com um namorado ou o que fosse. E mentalmente e emocionalmente, também fez a diferença”.

Quanto a como ela se sente hoje em dia não ter um namorado (a)?

“Eu não sei, acho que estou feliz com eu estou”, disse Lovato. Especialmente, parece, agora que ela tem o Twitter de volta ao seu lado para esclarecer as coisas – e conectar seus últimos projetos. “Se você é tão curioso sobre minha sexualidade, veja meu documentário”, ela tweetou na semana passada, quando os rumores giravam sobre ela ser vista de mãos dadas com a DJ Lauren Abedini. Ela acrescentou: “Mas eu não devo nada a ninguém”.