Fonte: Entertainment Weekly
Tradução e adaptação: Equipe Portal Demi

Demi Lovato é uma guerreira. Se você a segue no Instagram, sabe que ela arrasa nas artes marciais. Mas ela também é uma pessoa de coração aberto. Esta é a inspiração para o seu sexto álbum com estilo R&B, “Tell Me You Love Me”. A cantora de 25 anos nunca foi daquelas que esconde as suas opiniões, seja através de música ou redes sociais. Mas, enquanto “Confident” (2015) foi um álbum crescente e energético que estabeleceu Lovato como uma cantora poderosa, a balada pesada do “Tell Me You Love Me” sofre com um pouco de excesso desse poder vocal.

As melhores partes do álbum estão na primeira metade e mostra o seu estilo, destaque especial na música com inspiração gospel que leva o título do álbum. É fácil imaginá-la cantando “You ain’t nobody til you got somebody!” na Igreja – ou pelo menos em um brunch animado. O álbum mostra Lovato se sentindo confiante e vocalizando esses seus desejos. Em “Ruin The Friendship”, ela até está com vontade de ficar com um amigo: “Your body’s looking good tonight, I’m thinking we should cross the line.”

Mas a grande voz de Lovato é, às vezes, um detrimento em um álbum que se esforça para ser afrodisíaco. “Tell Me You Love Me” quer ser algo que você ouve durante uma sessão de “Netflix and Chill”, mas o vocal de Demi, muitas vezes, ultrapassa o limite do audível. Ninguém quer interromper um encontro para ter que diminuir o volume da música. Muitas músicas, como “Concentrate”, parecem servir mais para a sua colega da Disney, Selena Gomez. Se ela não quiser conter o seu grito, talvez na próxima vez ela possa achar um som que encaixe melhor para isso.

NOTA: B (75/100)